O mito vai mitar?

É muita incerteza para tanto otimismo

A eleição mandou uma mensagem alta e clara: o brasileiro quer mudança. E o pêndulo ideológico caminhou para a direita depois de 4 governos claramente de esquerda (antes que alguém me xingue pelo e-mail, 6 se você acha que FHC também era de esquerda).

Abre parênteses para a conversa de botequim.

Tenho convicção que o brasileiro na média não se importa com ideologia ou padrão ético. Ele quer mesmo alguém que resolva os problemas.  

Com toda essa praticidade, vota em ladrão, palhaço, políticos de direita ou bolivarianos desde que sinta que essas pessoas vão deixar a vida dele melhor.

Tenho ouvido falar de uma onda conservadora, mas acho que só uma onda de revolta mesmo. Se a direita pisar na bola, o pêndulo volta para a esquerda sem nenhum problema.

Fecha parênteses para a conversa de botequim.

Tirando o achismo de fora, os resultados de ontem deixar Jair Bolsonaro com um uma pé e meio dentro do Planalto.

O mercado irá rapidamente colocar no preço a certeza de ter um governo e um congresso de direita. O Real vai se fortalecer, a bolsa subir e se tudo der certo, juros e inflação sob controle.

Está subentendido neste otimismo que o governo e o congresso farão pelo menos uma parte das reformas necessárias para colocar o país no eixo.

É aí que a porca torce o rabo. É otimismo demais. Fale o que quiser, mas o governo de Bolsonaro é uma grande incógnita, assim como é o relacionamento com o futuro ministro Paulo Guedes, o avalista das ideias econômicas.

Por mais Paulo Guedes seja a âncora de tranquilidade, quem manda mesmo é o capitão, que já deu sinais muito divergentes entre o seu passado de votações e o discurso atual que está agradando o mercado.

Não se engane, se as coisas forem mal e a panela ferver, quem dança é o subalterno e adeus estabilidade.

Essa discussão ainda não entrou na pauta e pode só aparecer muito lá na frente com o governo instalado ou mesmo após o segundo turno, mas no final das contas é muita incerteza que está passando ao largo do humor dos investidores por enquanto.

Como sempre, nos investimentos, não pretendo saber do futuro, mas analisar o presente. As moedas e os ativos já estão caminhando rapidamente para precificar um cenário de lua de mel com o mito.

Você deveria encarar esse momento como uma importante janela de oportunidade para comprar moeda estrangeira barata.

Esse estratégia faz sentido principalmente para quem está morando ou pretende morar no exterior ou mesmo quem já estava esperando o momento ideal para um diversificação de investimentos.

Quem mora no exterior precisa ter renda e investimentos em moeda estrangeira para não sofrer com fortes oscilações de câmbio que sempre acontecem. Quem mora no Brasil, precisa de um porto seguro para uma parte dos seus investimentos.

Se por acaso o mito mitar, você fica contente pelos seus amigos e parentes que terão melhores condições de vida no Brasil. Se o mito não mitar, você está protegido.

Abraço.

Marcio Fenelon

Compartilhar esse artigo

Escrito por
Marcio Fenelon Formado em Administração de Empresas pela EAESP -FGV, tem duas pós-graduações pelo Insper e Fipecafi-USP. Possui 25 anos de experiência na área financeira de grandes empresas brasileiras, sendo os últimos 10 anos dedicados à análise e captação de recursos para investimentos imobiliários. Autor de dois livros, vários cursos e incontáveis relatórios com recomendações de investimento.
QUERO PARTICIPAR DO MONEYBALL IMOBILIÁRIO

Sua inscrição poderá ser cancelada a qualquer momento, basta clicar em “descadastrar” em alguma das newsletters. Este é um serviço gratuito da Quaest Europa e seu endereço de e-mail nunca será compartilhado. Política de Privacidade.


Nossas redes sociais

Entre em contato

Através do email [email protected]

ou pelo formulário de contato